Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

fado positivo

Porque não estamos condenados a ver sempre o copo meio-vazio, aqui só se destaca o copo meio-cheio

fado positivo

Porque não estamos condenados a ver sempre o copo meio-vazio, aqui só se destaca o copo meio-cheio

Embora o PIB não seja uma medida de bem-estar, muitas vezes ele é tomado como tal. O Eurostat tem uma medida, que embora não seja também de bem-estar, estará mais perto disso: Actual Individual Consumption (AIC).

Uma desvantagem do PIB quando falamos de bem-estar é contabilizar produção que não reverte para os cidadãos, como os lucros de uma empresa estrangeira a funcionar em Portugal, gastos do Estado que não revertem para os cidadãos etc.

Se pegarmos então num estudo recente do Eurostat, onde consta a medida do (AIC) que engloba consumo de todos os bens e serviços, inclusivé serviços prestados pelo Estado como cuidados de saúde, Portugal salta 3 lugares no ranking europeu ficando em 16º a nível europeu. Enquanto o PIB per capita é 76% da média, o AIC é 82% da média. De notar ainda que o AIC subiu no último ano de 80 para 82%.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Miguel Carvalho 15.12.2009 16:52

    Pauloaguia,

    a) obrigado! enganei-me na ligação mas já corrigi
    b) há muita coisa que pode fazer a diferença, a poupança é apenas mais uma. se reparar nos números, há enormes variações enter o pib e o aic, logo a poupança não poderá ser um dos factores principais. eu diria (mas isto é mesmo uma hipótese) que as diferenças vêm dos lucros das empresas estrangeiras. os países da europa de leste cresceram muito à base deste tipo de investimento e isso explicaria o aic mais baixo.
    de qualquer modo, pelo que me lembro os valores dos salários apontam no mesmo sentido: os países de leste mais ricos têm salários mais baixos do que seria de esperar.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.