09
Jan 15

E o novo ano trouxe preços de combustíveis abaixo da média europeia

Comissão Europeia:

Em dezembro dizia-se por aí que se não fosse pela descida do preço do crude, os preços dos combustíveis iriam subir em Portugal com a chegada do novo e várias alterações fiscais. Havia palpites para todos os gostos.

Pois bem, saiu o primeiro relatório da Comissão Europeia com os preços médios dos combustíveis já com dados de 2015. É a fonte ideal para o tira-teimas, porque os restantes países europeus também beneficiaram da descida do preço do crude. Qualquer boa notícia na comparação com os restantes 27, não terá por isso a ver com essa descida.

O relatório é claro: tanto a gasolina 95 como o gasóleo continuam em Portugal com preços abaixo da média europeia. No primeiro caso, os portugueses pagam menos 0,2 cêntimos/litro, no segundo 6,7 cêntimos/litro.

publicado por Miguel Carvalho às 12:21 | comentar | favorito
tags:
19
Dez 14

2014 continua a ser um excelente ano para o turismo

INE:

Depois de um ano em que todos os records foram batidos, 2014 conseguiria ser melhor. A subida face a 2013 continua a ser consistente e expressiva. Em Outubro, último mês para o qual há dados e um mês normalmente mais calmo, houve 3,3 milhões de dormidas de turistas estrangeiros em Portugal. As subidas dos valores acumulados para os primeiros 10 meses do ano, mostram uma subida acima dos 10% em vários índices. O número de hóspedes sobe 11,9%, as dormidas 10,8%, os proveitos totais 12,5%, etc.

Tem também havido uma subida no valor associado a estas dormidas. As dormidas em hotéis de 5 e 4 estrelas subiram 18% e 16,1%, acima dos 13,9% da média.

Há ainda uma diversificação dos destinos do turismo, sendo que o Algarve pesa cada vez menos sendo a região do continente que menor subida teve de dormidas de estrangeiros. Lisboa com 14,9% e o Alentejo com 18% foram as regiões que mais contribuíram para a subida nas dormidas nestes 10 meses.

publicado por Miguel Carvalho às 12:29 | comentar | favorito
tags:
11
Dez 14

Consumo de bens e serviços, está apenas 16% abaixo da média europeia

Eurostat:

O PIB per capita é muitas vezes apresentado como um indicador do poder de compra, ou do bem-estar material dos habitantes de um dado país. Como tal, o PIB per capita, mesmo tomando em consideração que os preços dos bens são diferentes de sítio para sítio, é na realidade um indicador muito mau, por variadíssimas razões. O Eurostat prefere por exemplo falar da Actual Individual Consumption, o consumo real por indivíduo, que mede na realidade o valor dos bens e serviços consumidos por cada cidadão.

Actual Individual Consumption consists of goods and services actually consumedby individuals, irrespective of whether these goods and services are purchased and paid for by households, by government, or by non-profit organisations. In international volume comparisons of consumption, AIC is often seen as the preferable measure, since it is not influenced by the fact that the organisation of certain important services
consumed by households, like health and education services, differs a lot across countries.

O caso dos luxemburgueses é gritante. Enquanto o PIB per capita está 157% acima da média europeia, o AIC está apenas 36%. No caso de Portugal, o AIC ficou em 2013 nos 84% da média europeia, pouco atrás de Espanha com 90%, e à frente da Grécia e de todos os países de Leste. Sendo que a França está apenas 10% acima da média, a Holanda 13%, e o Reino Unido 15%, os nossos -16% acabam por mostrar que a diferença para os países mais ricos, não é tão grande como aquele que seria quando se pensa no PIB ou nos salários.

publicado por Miguel Carvalho às 16:09 | comentar | favorito
tags:
03
Dez 14

Portugal melhora de novo no ranking da corrupção, tendo apenas 30 países à frente

Transparency International:

O Corruption Perceptions Index é o mais famoso e respeitado a nível mundial sobre a corrupção do sector público. É um índice construído a partir de vários dados, sendo que estes não incluem dados oficiais sobre corrupção (já que estes podem facilmente ser manipulados).

O último estudo acabou de sair, e Portugal subiu duas posições. Há agora apenas 30 países em 175 com melhor classificação que Portugal. Israel, Espanha, Eslovénia, Coreia do Sul, etc. são alguns dos países que ficam abaixo. A Grécia e a Itália, por exemplo, estão quase 40 posições abaixo.

publicado por Miguel Carvalho às 14:36 | comentar | favorito
28
Nov 14

Economia a crescer, e a melhor ritmo

INE:

O PIB nacional voltou a crescer no 3º trimestre, e desta feita a um ritmo superior. No trimestre acabado em julho o crescimento tinha sido de 0,9%, agora foi de 1,1%. Destaque para os sinais contrários na componente interna, os gastos do governo diminuíram 0,1% face há um ano, enquanto o investimento e o consumo privado subiram 1,5% e 2,7% respetivamente. É já o terceiro trimestre consecutivo onde há aumento do investimento em termos homólogos.

publicado por Miguel Carvalho às 16:58 | comentar | favorito
tags:

Portugal com maior queda do desemprego na Zona Euro

Eurostat:

O Eurostat fez a colecta dos dados do desemprego dos 28 estados-membros relativos a outubro, e Portugal salta à vista. Entre os países da Zona Euro, teve a maior queda na taxa de desemprego face ao mês homólogo. Foram menos 2,2 pontos percentuais, bem acima dos -0,4pp da média da Zona Euro.

Com esta evolução positiva, Portugal está prestes a sair do Top 5 da UE com mais desemprego, visto ter agora 13,4% de desemprego, enquanto a Itália (que teve um aumento anual de 0,9pp) está perto com 13,2%. O Top 5 continua a ser liderado pela Grécia e Espanha, com 25,9% e 24,0% respectivamente.

No caso do desemprego jovem, a melhoria em Portugal foi ainda mais forte, com -3,8pp na taxa de desemprego, face aos -0,5pp da Zona Euro.

publicado por Miguel Carvalho às 12:16 | comentar | favorito
27
Nov 14

Há mais de 12 anos que os portugueses não estavam tão confiantes numa melhoria

INE:

Deveria estar a fazer manchetes, mas não está. O indicador de confiança dos consumidores do INE saiu há pouco, e revela um resultado surpreendente:

O indicador de confiança dos Consumidores aumentou em novembro, atingindo o valor mais elevado desde maio de 2002 e prolongando a acentuada tendência ascendente observada desde o início de 2013.

O INE destaca ainda:

A recuperação do indicador de confiança dos Consumidores 1 no último mês deveu-se ao contributo positivo de todas as componentes, sobretudo das expetativas sobre a evolução da situação económica do país.

As outras componentes ascedentes a que se refere o INE, são indicadores como expectativas sobre a situação financeira da família, desemprego, poupança, etc.

publicado por Miguel Carvalho às 12:54 | comentar | favorito
17
Nov 14

Portugal com 5ª maior subida em I&D

Eurostat:

O Eurostat publica hoje os dados dos gastos em Investigação em Desenvolvimento na Europa, comparando os últimos números, de 2013, com os de 2004. O peso da I&D subiu em geral na UE durante este período, tendo subido 0,26 pontos percentuais em termos de peso no PIB. Portugal salta à vista como dos que mais subiu, com uma subida de 0,63pp, ficando apenas atrás da Rep. Checa, Estónia, Áustria e Eslovénia.

Portugal fica assim com 1,36% do PIB dedicado a I&D, acima dos 0,78% da Grécia, 1,24% da Espanha, 1,25% da Itália e 0,48% do Chipre.

publicado por Miguel Carvalho às 18:22 | comentar | favorito
14
Nov 14

Portugal continua a crescer acima da Zona Euro

Eurostat:

O PIB português no fim do terceiro trimestre de 2014 cresceu 1,0% face ao trimestre homólogo. Este valor contraste com os 0,8% da média da Zona Euro. E não se trata de um resultado ocasional. Nos últimos quatro trimestres, Portugal tem tido sempre crescimentos anuais superiores à média.

 

publicado por Miguel Carvalho às 12:36 | comentar | favorito
tags:
05
Nov 14

Mais 50,5 mil pessoas empregadas num trimestre apenas

INE:

Acabam de sair os dados do INE do emprego no 3º trimestre de 2014, e dificilmente poderiam ser melhores. Num trimestre apenas (comparando com o 2º trimestre portanto), há mais 50,5 mil pessoas empregadas, e isto é já descontando quem perdeu o emprego entretanto.
Esta subida causou um trambolhão na taxa de desemprego, de 13,9% para 13,1%, menos 0,8 pontos percentuais em apenas 3 meses. Em comparação com o trimestre homólogo a queda foi de 2,4 pontos percentuais. É assim a 6 queda trimestral consecutiva da taxa de desemprego.

A queda do desemprego foi particularmente forte nos jovens. Na faixa 15-24 há agora menos 12,9% desempregados do que há um ano, e menos 23,1% na faixa 25-34.

publicado por Miguel Carvalho às 12:16 | comentar | favorito
tags: ,