Exportações nunca foram tão altas relativamente às importações

INE:

As saídas de bens aumentaram 8,3% e as entradas de bens diminuíram 6,5% no trimestre terminado em julho de 2012, face ao período homólogo de 2011 (maio de 2011/julho de 2011), o que determinou um desagravamento do défice da balança comercial no montante de 1 887,1 milhões de euros.

Resultado: a taxa de cobertura no comércio de bens saltou para os 85,7%.

E isto acontece numa altura em que o petróleo (provavelmente o bem que mais desequilibra a nossa balança) esteve ao preço mais alto de sempre em euros!

publicado por Miguel Carvalho às 11:48 | comentar | ver comentários (2) | favorito