30
Ago 09
30
Ago 09

Lisboa, a capital mais segura da Europa

Quebro aqui a regra de só divulgar relatórios acabados de sair para aproveitar uma discussão com uma amiga que jurava a pés juntos que Lisboa era das cidades mais perigosas da Europa.

O UNICRI, a agência da ONU para investigação sobre o Crime e a Segurança, publicou um estudo em 2007 (dados recolhidos em 2005) sobre a segurança em várias cidades. Em vez de se basear em estatísticas, fez milhares de inquéritos perguntando se as pessoas tinham sofrido algum crime.

 

Entre todas as cidades europeias, Lisboa teve a taxa de vitimização (ter sido vítima de algum crime no último ano) mais baixa da Europa.

E não foi só graças a crimes como roubo de bicicletas (que obviamente não pode ser comparado entre cidades), mas crimes mais gerais. 4ª com menos assaltos a carros, um terço da média em roubo de motas, 1ª com menos assaltos a casas, 1ª com menos roubos (carteira, roupa, etc.), 3ª com menos carteiristas, 1ª com menos ameaças sexuais a mulheres, 2ª com menos ameaças físicas, 5ª com menos fraudes contra consumidores.

Em termos de corrupção, nomeadamente pedidos de subornos, Lisboa apesar de valores altos, está bastante abaixo da média, 1,1 face a 1,9.

 

O caso muda totalmente de figura - dando total razão a este blog - quando se deixa de perguntar sobre factos, e se passa a perguntar sobre receios e sobre suspeições. Aí, os Lisboetas saltam para o topo das listas, por exemplo em 4º lugar em receio de vir a ter a casa assaltada.

publicado por Miguel Carvalho às 22:00 | comentar | ver comentários (11) | favorito
tags:
28
Ago 09

Confiança dos consumidores e clima económico sobem há vários meses consecutivos

A confiança dos consumidores portugueses emJjulho não estava tão alta há 2 anos. O mesmo se aplica à apreciação da situação financeira da família.

A confiança subiu em todos os sectores económicos excepto um. Na indústria transformadora os indicadores de produção actual, procura global, procura interna, procura externa e de produção prevista sobem há vários meses consecutivos. O mesmo se aplica a todos os indicadores do comércio (confiança, vendas, actividade prevista, etc.).

 

Fonte INE

publicado por Miguel Carvalho às 12:35 | comentar | favorito

Comércio a retalho: vendas sobem e remunerações também

A variação mensal das vendas no comércio a retalho, deflacionadas e corrigidas dos efeitos de

calendário e da sazonalidade, situou-se em 2,9% em Julho.

O emprego no comércio subiu 1,4% face ao mês anterior.

As remunerações brutas subiram 5,1% face ao ano anterior, com especial destaque para o comércio de produtos alimentares, onde as remunerações subiram 10,8%. Em termos mensais a subida foi de 1,0%.

 

Fonte INE

 
publicado por Miguel Carvalho às 12:30 | comentar | favorito
tags:

Crédito à habitação cada evz mais baixo, batendo recordes

O preço dos empréstimos para habitação nunca esteve tão baixo desde que há estatísticas. A taxa de juro média foi de 2,77% e Julho, uma fortíssima descida de 3,21 pontos percentuais desde Dezembro.

A prestação média caiu assim 11 euros (menos 4%) num só mês, acumulando uma descida de 95 euros desde Dezembro.

Os juros cairam também nos novos contratos celebrados, sendo agora de apenas de 2,57%.

 

Fonte INE

publicado por Miguel Carvalho às 12:23 | comentar | favorito
tags:
28
Ago 09

Indústria de bens de consumo duradouro cresce 12,3% em Julho

 A indústria no seu todo teve um comportamente positivo em Julho face ao mês anterior, tendo a produção industrial subido 1,6% (dados corrigidos de sazonalidade e calendário), com especial destaque para a indústria de bens de consumo com +3,4%. 

A variação homóloga na indústria foi melhor do que a ocorrida no mês anterior.

Fonte INE

publicado por Miguel Carvalho às 12:18 | comentar | favorito
25
Ago 09
25
Ago 09

Exportações para fora da UE27 com comportamento muito acima da média

Num relatório de análise ao impacto da subida do preço do petróleo na balança comercial europeia em 2008, o Eurostat mostra que as exportações portuguesas para fora da UE tiveram uma evolução muito acima da média europeia, 13,5% contra 5,4%.

As importações portuguesas também aumentaram devido ao preço do petróleo, mas apesar de Portugal ter de importar por completo o petróleo que consome (o que não acontece em toda a UE), o seu crescimento (15,3%) foi apenas ligeiramente superior ao das exportações quando na média europeia a diferença foi maior, 8,1% face aos tais 5,4%.

publicado por Miguel Carvalho às 14:59 | comentar | favorito
24
Ago 09
24
Ago 09

Encomendas à indústria portuguesa acima da média

Embora tendo uma variação homóloga negativa, as encomendas à indústria portuguesa continuaram com uma variação melhor que a média europeia em Junho (últimos dados). Desde o início do ano é o 5º mês em que isto acontece (a única excepção foi Abril e por uma margem muito pequena).

Fonte Eurostat

publicado por Miguel Carvalho às 10:51 | comentar | favorito
22
Ago 09
22
Ago 09

Portugal abaixo da média europeia em acidentes de trabalho

Fonte relatório de ontem da Eurostat

Portugal está abaixo da média europeia no que toca à percentagem de trabalhadores que tiveram um acidente de trabalho, 3% contra 3,6%. Mesmo quando comparado apenas com os países mais ricos da UE, a UE a 15 antes do alargamento a leste, Portugal fica abaixo da média. Os trabalhadores portugueses (tanto homens como mulheres), estão também menos expostos a factores que possam afectar o seu bem-estar psicológico. Mais uma vez, até melhor que a média na UE15.

publicado por Miguel Carvalho às 19:23 | comentar | ver comentários (2) | favorito
21
Ago 09

Vários bons sinais na economia

Segundo o relatório Banco de Portugal sobre Julho (a página original está em baixo, mas o Público disponibiliza-o), os indicadores de actividade económica e de consumo privado subiram face ao mês anterior.

O volume de negócios no comércio a retalhe tevo um comportamento melhor do que em Junho. O mesmo se aplica à venda de automóveis ligeiros e pesados comerciais (valores trimestrais face ao trimestre homólogo).

O índice de confiança dos consumidores subiu, tal como a confiança nos sectores do comércio a retalho, serviços, construção e indústria transformadora.

O défice da balança corrente teve uma diminuição (logo melhoria) de €2477.1 milhões.

A diferença entre as taxas alemãs e portuguesas de rendibilidade das obrigações do Tesouro a 10 anos, diminui fortemente (38 pontos base) o que indica uma maior confiança na economia nacional da parte dos mercados financeiros.

publicado por Miguel Carvalho às 20:00 | comentar | favorito
tags:
21
Ago 09

Encomendas na Construção e Obras Públicas com evolução menos negativa

INE

Face ao trimestre precedente, as encomendas aumentaram 12,3%.  O segmento de Obras de Engenharia registou um aumento de 67,1%.

 

publicado por Miguel Carvalho às 19:29 | comentar | favorito