Taxa de cobertura do comércio externo melhora

No meio da crise seria de esperar uma retracção das importações e das exportações, que levariam a uma diminuição do défice comercial - um dos principais desequilíbrios da economia portuguesa. Mas não só melhorou o défice comercial como também a taxa de cobertura, isto porque as exportações tiveram um comportamento melhor que as importações no período Jun-Ago face ao período homólogo. A taxa de cobertura subiu assim de 61,7% para 63,4%.

Em português, por cada euro que importamos estamos agora a exportar mais do que há um ano. E isto não se deveu apenas à queda do preço do petróleo. Se olharmos para o comércio extra-comunitário descontando produtos petrolíferos, a taxa de cobertura subiu de 104,4% para 119,3%.

Outra boa notícia vem do abrandamento das exportações. Estas continuam a cair, mas a uma velocidade menor desde há 4 meses. A queda das importações por seu lado, continua a aumentar.

Fonte INE

publicado por Miguel Carvalho às 13:20 | comentar | favorito