Estudantes portugueses foram os que mais melhoraram na matemática na Europa

OCDE:

Já vem com uma semana de atraso, mas há tanta coisa boa no PISA sobre Portugal, que vale a pena referir. O PISA é o maior estudo a nível mundial a comparar níveis de ensino entre vários países. São feitos exames de matemática, ciências e leituras a alunos de 15 anos escolhidos aleatoriamente em vários países. O último relatório compara 65 países e centrou-se na matemática.

A primeira coisa que salta à vista do relatório PISA 2013 (com dados de 2012) é quantidade de vezes que Portugal é referido, sempre pela positiva. Por exemplo Portugal é além da Polónia, o único país europeu destacado no relatório pela sua melhoria em todas as categorias num curto espaço de tempo. Portugal, Polónia e Itália são os únicos países que aumentaram o número de alunos com excelentes resultados a matemática, ao mesmo tempo que diminuíam os com maus resultados, de 2003 para 2012 (o relatório foca-se mais na comparação a 9 anos, do que a 3 anos, quando ocorreu o último estudo).

 

Em termos de matemática, os alunos portugueses ficam à frente dos italianos, espanhóis, americanos, russos, suecos, israelitas, etc. Para lá desses valores médios, a percentagem de portugueses com excelentes capacidades a matemática (5 ou 6 numa escala que vai até 6), é maior do que Dinamarca, Noruega, etc.

Dada a imprecisão dos resultados - por apenas comparar uma amostra do total de cada país - o relatório diz que é até possível que os portugueses estejam acima dos noruegueses, luxemburgueses, franceses e ingleses a matemática.

Dado estes resultados não é de espantar que Portugal tenha sido o país europeu que mais subiu a Matemática de 2003 a 2012.

 

Na leitura, os portugueses ficam acima dos islandeses, espanhóis, russos, suecos, israelitas e tantos outros.

 

A melhoria do nível de educação dos alunos portugueses é tão incrível, que o próprio relatório faz um destaque de 3 páginas a documentar esta melhoria. Numa outra ocasião é dito que "Portugal improved their students’ attitudes, dispositions and self-beliefs towards school in general, and towards mathematics in particular, by, for example, reforming their curricula so that they are better aligned with students’ interests and 21st century skills". Isto é baseado em várias perguntas sobre a motivação e o bem-estar dos alunos na escolas, algo onde os portugueses aparecem constantemente nos primeiros lugares.

publicado por Miguel Carvalho às 19:13 | comentar | favorito