Apesar da crise, a exclusão social em Portugal mantem-se ao nível europeu.

EUROSTAT:

O Eurostat define exclusão social como a situação em que uma pessoa cai num dos três seguintes critérios: está em risco de pobreza (tem rendimentos abaixo de um certo nível), passa por graves  materiais (como não ter a casa aquecido, não ter refeições decentes, etc..) ou vive num agregado familiar onde os adultos praticamente não têm emprego.

Em todas as 4 categorias de exclusão social, Portugal está ou ligeiramente acima ou ligeiramente abaixo da média. E a média europeia a que o relatório se refere, está certamente beneficiada pela falta de dados de dois países, a Irlanda e a Itália - ambos atingidos pela crise, e ambos com dados mais graves que a média em 2010.

Na categoria global, Portugal tem 24,4% de pessoas em exclusão social, contra os 24,2% da média europeia. Os búlgaros são os que mais sofrem, com 49,1%. Os gregos estão nos 31%,

Em termos de risco de pobreza, há 18% de portuguesas nesta situação, 16,9% na UE.

Privação material é algo por que passam 8,3%, contra 8.8% dos europeus.

Baixíssimo nível de emprego dos adultos da família, afecta 8,2% dos portugueses, contra 10% na Europa.

publicado por Miguel Carvalho às 12:59 | comentar | favorito
tags: